Esporte

Futebol de areia

Nada tem mais a cara do Brasil do que o futebol. O país é conhecido por todo o mundo por causa dos títulos, do estilo e dos craques. E o futebol é tão “a cara” do país que é praticado em todos os terrenos possíveis: do campo à varzea, da quadra às areias.

Nessa edição falaremos um pouco sobre a história do futebol de areia.

O futebol de areia nasceu nas praias brasileiras na década de 90. Em 1992, nos Estados Unidos, foram criadas as primeiras regras para a regulamentação do esporte, mas o futebol de areia, ou beach soccer, sempre teve o Brasil como seu berço e referência. Em 1995 a praia de Copacabana recebeu a primeira edição do campeonato mundial que teve o Brasil como vencedor em muitas edições.

O esporte é uma modalidade ágil e cheia de improviso, uma mistura informal entre as regras do futebol de campo e do futsal. Uma das principais diferenças em relação ao futebol de campo é o número de jogadores. São 5 atletas para cada lado, quatro na linha e um no gol, parecido com o futsal. O tempo de jogo também é reduzido, são 3 tempos de 12 minutos.

Curiosidades

A bola no beach soccer é mais leve que o futebol de campo e só pode ser recuada para o goleiro se um adversário tiver tocado nela.

Na areia, as faltas e penalidades são cobradas por quem sofreu a infração, a menos que o jogador tenha se machucado. Laterais e escanteios podem ser batidos com pés ou com as mãos, só não vale marcar gol direto da cobrança.

Aqui na Pipa o futebol de areia é muito praticado. Os locais preferidos são a Praia do Centro, na maré baixa e a Baía dos Golfinhos, onde anualmente ocorre o Campeonato Joga Limpo Futebol, campeonato tradicional organizado por nativos, que premia times locais e artilheiros com muita animação, torcida e descontração.

E aí, bora bater uma bolinha?!

 

Por Nathalia Leme

Texto originalmente publicado na Revista Bora, edição 15, janeiro de 2016.

No Comments

    Leave a Reply

    Navegue